Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

Páscoa

Meses antes da chegada da Páscoa, os supermercados e lojas de doces lotam suas prateleiras de chocolates, no formato de coelhos, de ovos de vários tamanhos, de corações e estrelas.

Com a proximidade da chamada Semana Santa, as pessoas já começam a listar os ovos preferidos - de chocolate branco, cobertos com amêndoas, com recheio de doce de leite ou brigadeiro? Há ovos para todos os gostos, pequenos e grandes, muito calóricos ou até light, para aqueles que aderem ao estilo de vida fitness

Há pessoas mais comedidas para doces, que guardam na geladeira seus potes e vão comendo um pouco a cada dia. Na páscoa, guardam seus chocolates e comem aos poucos ao longo dos meses seguintes. Mas a grande maioria abre todos os chocolates de uma vez, escondendo os mais gostosos pela casa para que os seus familiares não usurpem suas delícias. O almoço de páscoa, preferencialmente um bacalhau bem feito, saboreado pela grande família reunida, fecha os preparativos, e todos ficam satisfeitos por terem comemorado mais uma páscoa. 

Só que não… (como dizem os mais novos). Mais uma vez nossa sociedade de consumo deturpa o sentido desta festa, tal como faz com as comemorações de Natal. Páscoa não tem a ver com bacalhau e muito menos com coelhinhos de olhos vermelhos, que nem ovos colocam. 

Páscoa é uma festa instituída entre os judeus – Pessach – e comemora a libertação dos hebreus, que viviam como escravos no Egito. A Bíblia relata que um cordeiro ou cabrito haveria de ser morto, seu sangue deveria ser aspergido nas portas, e na casa onde não houvesse a marca do sangue o primogênito morreria. Portanto, Páscoa significa livramento de morte, salvação, e prefigurava o sacrifício de Jesus em nosso favor. 

Jesus realizou a última Páscoa, e a substituiu pela Ceia do Senhor, um ato memorial onde nos lembramos do sacrifício de Jesus na cruz e proclamamos a sua volta. A Páscoa para os cristãos é a passagem da morte para a vida eterna, fala de ressurreição e vida, e especialmente no domingo comemoramos a ressurreição de Jesus, que nos garante a vitória sobre a morte!

Comemorar a Páscoa é, portanto, muito mais importante do que comemorar o Natal. As festas natalinas nos remetem ao nascimento de Jesus. Mas na Páscoa está a nossa vitória e redenção. Precisamos relembrar os motivos da morte de Jesus, o fato dele ter sido imolado em nosso lugar, como o cordeiro de Deus, que verte seu sangue para nos resgatar. Comemorar a sua ressurreição, sua vitória sobre a morte e o inferno, garantindo-nos a vida eterna. Afinal, como Paulo nos adverte, é a sua ressurreição que sustenta a nossa fé: …se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm… Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo as primícias dentre aqueles que dormiram. Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados. (1 Coríntios 15.14,20-22). 

Comemore a morte de Jesus – pois ele morrer por nós, em nosso lugar. Celebre a sua ressurreição, pois é ela que nos garante a vida terna, quando pertencemos firmados nele.  

Reúna a família e presenteie seus filhos e netos. Se desejar, saboreie seu chocolate. Mas não se esqueça de agradecer ao Cordeiro de Deus, que morreu para nos dar vida, fazendo de Jesus a nossa Páscoa.

elaine

Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

 

Pedidos de Socorro

Escrito por Elaine Cruz
Pedidos de Socorro

Vivemos em um mundo adoecido pelas questões da saúde física que perpassam as nações da ter...

Reformulando os Medos

Escrito por Elaine Cruz
Reformulando os Medos

O medo é uma emoção inata e natural ao ser humano, entendida como um instinto primário par...

Vivenciando o Luto 

Escrito por Elaine Cruz
Vivenciando o Luto 

Cada vez mais estamos assistindo a morte chegar mais perto da nossa família. Antes as notí...

Colocando a casa em ordem

Escrito por Elaine Cruz
Colocando a casa em ordem

A quarentena, para os que puderam ficar em casa, foi um período em que muitos arrumaram ar...

Sobriedade em meio ao caos

Escrito por Elaine Cruz
 Sobriedade em meio ao caos

Sempre que o mundo vive algum caos, como as guerras mundiais ou as pandemias passadas, pes...

Conversando sobre Finanças

Escrito por Elaine Cruz
Conversando sobre Finanças

Esta pandemia está trazendo mudanças consideráveis em todas as áreas da nossa vida. Avós n...

Tempo de Mudanças

Escrito por CPAD Web
Tempo de Mudanças

Temos ouvido que o mundo não será o mesmo depois desta pandemia. Sim, um vírus vai ser cap...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2020 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.