Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

Sozinhas e bem acompanhadas

Na grande maioria dos países o número de mulheres é maior do que o dos homens, e isto reflete diretamente no fato de que muitas mulheres não se casam. 

Se somarmos este fato ao índice de que a expectativa de vida das mulheres é maior do que os homens, em geral de sete a dez anos a mais, o número de mulheres solteiras ou viúvas aumenta bastante. 

E, claro, ainda podemos considerar o alto número de homens que, infelizmente, se envolvem com o homossexualismo, cuja consequência também aumenta o número de mulheres sozinhas.

Até hoje as nossas meninas são criadas para se casar, mesmo aquelas que são incentivadas por seus pais e familiares a buscarem independência emocional financeira. Eu orei para que minha filha se casasse, e incentivo todas as mães a fazerem o mesmo, ao mesmo tempo que a eduquei para ser uma profissional competente e próspera. Casamentos felizes e filhos abençoados e tementes a Deus são dádivas divinas, que podemos e devemos pedir a Deus em oração e jejum. 

Entretanto, é sempre bom reforçar que por mais natural que pareça ser o transcurso de um casamento ou da maternidade, na verdade os bons casamentos são raros, e criar filhos é uma arte muito trabalhosa. Sempre me impressiono com a dureza do coração de alguns cônjuges, que se esmeram na arte de denegrir, ferir a alma e machucar o corpo da pessoa com que estão casados.

Sabemos que Deus permite o divórcio por causa da dureza do coração humano, por conta de homens abusadores, de maridos que espancam suas esposas e filhos, de pais que estupram filhas na mesma cama em que dormem com suas esposas! E sempre que assisto situações parecidas com estas, penso que muitas mulheres estão melhores sozinhas e solteiras, sem o peso de uma escolha errada que resulta em espancamentos, agressões, traições e grande sofrimento emocional.

Sim. É melhor estar só do que mal acompanhada! É melhor gozar a vida com Deus, com pessoas amadas da igreja, usufruindo de uma carreira profissional estável, com liberdade para gastar seu salário com conforto e viagens, sendo a tia de sobrinhos queridos, para os quais não se precisa necessariamente comprar fraldas, comida ou pagar colégios. 

Mas, sem dúvida, enquanto o casamento não acontece, o melhor mesmo é ficar sozinha e bem acompanhada – de você mesma!  Para você que (ainda) está solteira ou viúva, a melhor companhia, a companhia de sempre, de todos os dias e horas, deve ser sempre a sua! 

Para você estar bem acompanhada, primeiramente você deve estar bem. Sua saúde precisa estar sempre sendo monitorada, suas ocupações diárias devem ser agradáveis. Você pode ter mais tempo para se dedicar à vida profissional e deve priorizar sua vida ministerial: Tanto a mulher não casada como a virgem preocupam-se com as coisas do Senhor, para serem santas no corpo e no espírito. Mas a casada preocupa-se com as coisas deste mundo, em como agradar seu marido. (1 Coríntios 7.34).

Quando apresentamos a Deus nossa vida, deixando que ele direcione nossos passos, inclusive nossa vida amorosa, é preciso descansar e saber que, se o casamento ainda não aconteceu, e mesmo se não acontecer, podemos descansar que ele nos fará felizes com o que temos e somos, independente de nosso estado civil. 

Portanto, mesmo estando solteira, decida ser feliz e completa! Se realize em Deus, nas suas conquistas profissionais e pessoais, gaste seu tempo para desenvolver novos talentos e dons, e aproveite muito a sua própria companhia! Desta forma você poderá até estar solitária, mas nunca sozinha ou em solidão! 

Quando você for escolher um par, só se case com alguém que seja muito melhor que a sua própria companhia.  E até isto acontecer, quando alguém lhe perguntar se você é solteira, afirme que sim, mas muito bem acompanhada!

Esperar contra a Esperança

Escrito por Elaine Cruz
Esperar contra a Esperança

A Bíblia contém frases belíssimas. Uma delas é a frase em que Paulo escreve inspirado pelo...

Comemorando aniversário

Escrito por Elaine Cruz
Comemorando aniversário

É interessante pensar no nascimento. Não pedimos para nascer, e nem mesmo escolhemos a cas...

Aprendendo a dizer Não

Escrito por Elaine Cruz
Aprendendo a dizer Não

Uma criança aprende a balançar o dedinho e a cabeça fazendo não bem antes de falar. Ela co...

Influenciadores digitais

Escrito por Elaine Cruz
Influenciadores digitais

Na última Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, tive o privilégio de fazer uma tarde de autó...

Perdão no Casamento

Escrito por Elaine Cruz
Perdão no Casamento

Perdoar é uma decisão consciente de estar livre, não só do ato do outro que causou a mágoa...

Perdoar não é uma opção

Escrito por Elaine Cruz
Perdoar não é uma opção

Perdoar não pode ser uma opção, até porque não há outra saída para quem foi ferido. Quem n...

Perdoar não é cicatrizar instantane...

Escrito por Elaine Cruz
Perdoar não é cicatrizar instantaneamente

Perdoar é uma decisão difícil de ser tomada. Mas sabemos que precisamos perdoar pessoas co...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2019 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.