Elaine Cruz

Elaine Cruz é psicóloga clínica e escolar, com especialização em Terapia Familiar, Dificuldades de Aprendizagem e Psicomotricidade. É mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, professora universitária e possui vários trabalhos publicados e apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Atua como terapeuta há mais de trinta anos e é conferencista internacional. É mestre em Teologia pelo Bethel Bible College (EUA) e membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil. Como escritora recebeu o 'Prêmio ABEC de Melhor Autora Nacional' e é autora dos livros “Sócios, Amigos e Amados”, “Amor e Disciplina para criar filhos felizes” e o mais recente, "Equilíbrio Emocional", todos títulos da CPAD.

Como retribuir favores?!

Minha mãe sempre dizia que a pior coisa era dever favor a alguém. Ela fazia questão de não esquecer o que havia recebido, e se organizava para retribuir o quanto antes o favor recebido. Isto implicava em devolver o agrado recebido através de um presente, a gentileza de oferecer um jantar, o reembolso de um empréstimo ou oferta financeira recebida, ou até mesmo retribuir o abraço ou a atenção que recebemos de alguém em um momento de luto ou de dor.

Aprendi com ela, e ao longo da vida, que enquanto estamos devendo um favor, não podemos deixar que o cotidiano apague da nossa memória o gesto ou afeto que precisamos retribuir. Não podemos deixar que nossa gratidão se transforma em desdém, ou que nosso raciocínio humano nos conduza a reflexões, do tipo: "eu bem sei que mereci a bondade alheia”, ou “o outro fez porque quiz, eu nem pedi a consideração dele”, ou “eu nasci para receber, e não vou me diminuir para retribuir nada a alguém”.

O egoísmo nos faz acreditar que somos merecedores e não devedores. E nosso narcisismo nos faz crer que nós somos mais importantes e dignos do que os que nos rodeiam. Assim, muitos gostam de receber, mas não aceitam dar ou doar seus talentos e dons a outras pessoas.

O apóstolo Paulo afirma que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: ‘Há maior felicidade em dar do que em receber’. Deus, na sua soberania e imensidão, se preocupa conosco, doou o seu filho unigênito, e permanece nos sustentando em nossos momentos de erro ou fraqueza.

Somos tão pequenos, mas tão cuidados e honrados por Deus! Portanto, não há como não concordar com o que escreve o salmista: Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste, pergunto: Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes? Tu o fizeste um pouco menor do que os seres celestiais e o coroaste de glória e de honra. Tu o fizeste dominar sobre as obras das tuas mãos; sob os seus pés tudo puseste: Todos os rebanhos e manadas, e até os animais selvagens, as aves do céu, os peixes do mar e tudo o que percorre as veredas dos mares. (Salmo 8.3-8).

A verdade é que há alguns favores, que recebemos de outras pessoas, e quem jamais teremos como retribuir. Como retribuir o favor de pais amorosos, que passam aperto financeiro para financiarem a escola para seus filhos? Como retribuir as noites em claro de mães à beira do leito de seus filhos? Como compensar as noites mal dormidas de pais que trabalham a noite, ou que se levantam ainda de madrugada para buscar sustento para seus lares? Como agradecer pelo cuidado amoroso, e pelas atitudes de fidelidade, de cônjuges que permanecem fiéis em momentos de doenças, de crises financeiras e momentos tristes?

Devemos amar, cuidar, zelar, ajudar, honrar, obedecer, e continuar fazendo atos bondosos ao longo dos anos, mas jamais iremos retribuir plenamente os amores de pais, filhos, cônjuges e irmãos leais, que se sacrificaram pelo nosso sucesso pessoal, e até mesmo pela nossa sobrevivência social e física. E de forma semelhante, jamais conseguiremos retribuir o cuidado, amor e salvação outorgadas por Deus a nós!

Assim, em datas comemorativas alusivas à Gratidão, o mínimo que podemos fazer é agradecer a Deus e as pessoas que amamos pelo amor e cuidado recebido. Mas que nos lembremos que continuamos a receber favores intermináveis (e até que desconhecemos) de Deus e, portanto, nossa gratidão precisa ser diária e constante.

Seja grato. Não fique devendo favores, mas seja cuidadoso(a) e rápido em retribuir as benevolências ou dádivas recebidas. E esmere-se em oferecer favores, mesmo sem receber o que você julga merecer. Lembre-se: É melhor dar do que receber! 

elaine

Elaine Cruz 

*A CPAD não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos publicados nesta seção, por serem de inteira responsabilidade de sua(s) autora(s).

Mantendo o Temor

Escrito por Elaine Cruz
Mantendo o Temor

Assusta comprovar como as pessoas estão perdendo o temor em questões de suma importância,...

Trigo e Joio

Escrito por Elaine Cruz
Trigo e Joio

Eu sempre prefiro as verdades, mesmo que doam aos ouvidos. Prefiro a distância do outro do...

Alegrai-vos!

Escrito por Elaine Cruz
Alegrai-vos!

A alegria é uma dádiva divina aos seres humanos. Desde que nascemos, temos uma tendência a...

Considerando a vida

Escrito por Elaine Cruz
Considerando a vida

É raro encontrar alguém que não goste de festa, ou de, pelo menos, comemorar datas signifi...

Chuvas em terra seca

Escrito por Elaine Cruz
Chuvas em terra seca

É muito bom quando, em pleno verão, no momento em que o calor começa a ressecar a pele e o...

Calor

Escrito por Elaine Cruz
Calor

Eu nasci em São Paulo, mas moro no Rio de Janeiro desde os meus treze anos. Nesta cidade m...

Boneca que fala!?

Escrito por Elaine Cruz
Boneca que fala!?

O famoso inventor norte-americano Thomas Edison foi um dos maiores empreendedores da Histó...

 

 

SOBRE


Com o objetivo de ajudar as mulheres cristãs da atualidade, a CPAD prepara um presente especial para elas: o site de conteúdos Mulher Cristã. O novo espaço feminino vem repleto de conteúdos inéditos, sempre com temas voltados para as mulheres cristãs de nossos dias.

©2024 CPAD: Av Brasil 34.401 - Bangu - Rio de Janeiro - CEP: 21852-002 - Brasil - CNPJ 33.608.332/0001-02. Designed by CPAD.